Prédio do Friends e Village

8
COM
Na segunda parte da viagem, quando retornei de Boston, tirei um dia para conhecer uma área simpática e bastante badalada da cidade, o bairro Soho. Mas antes de chegar nesse bairro, fui realizar outro grande sonho, ver de perto o prédio que passou dez anos sendo o cenário principal do seriado Friends, onde moravam Monica, Rachel, Joey and Chandler. Em princípio, parece ser uma coisa boba, se deslocar até um determinado local somente para ver um prédio. Mas todo o passeio na região onde ele fica é muito, mas muito legal. É uma outra visão da cidade, uma região bem diferente daquela parte turística que todo mundo vai. 
Sensacional estar caminhando por ruazinhas tranqüilas, arborizadas, residenciais e, de repente, dar de cara com o prédio da Monica. Pra mim foi uma emoção, estar de frente para o cenário do melhor seriado de todos os tempos (na minha opinião). Muito legal! No térreo do prédio, há um café que não é o Central Perk, mas parecia bem simpático. A esquina famosa é da Bedford Street com a Grove Street, no Greenwich Village. Um pouco mais adiante na rua, encontrei um grupo de turistas fazendo uma visita guiada a pé pelo bairro.


Fiquei encantada com o bairro. Nova York é uma cidade bem mais velha do que eu esperava e, de cara, tive a impressão de que não gostaria muito de morar lá. Mas no Village eu moraria, é uma área muito charmosa da cidade. É como uma cidade pequena, do interior, dentro da metrópole. Adorei!



Bem, segui meu passeio em direção ao Soho. Estava com grandes expectativas em relação ao famoso bairro, mas sabe que não achei nada demais? É, preferi o Village. O Soho tem um grande comércio, vários lugares charmosos também, mas é isso, pra mim valeu conhecer, mas não achei o máximo, como um monte de gente acha. E indo um pouco além, para o sul, cheguei à Chinatown. Mas devido ao adiantado da hora, não explorei o bairro chinês a pé. Também não tinha grandes interesses em compras na Chinatown, então fiz meu retorno um pouco antes da Canal Street.
Só um registro, em todas as minhas andanças a pé, de metrô, de taxi, fiquei bastante impressionada com a segurança da cidade. É uma sensação maravilhosa andar tranqüila pelas ruas. Foi exatamente assim que me senti, muito tranqüila em todos os lugares. No metrô, todas as pessoas tiravam seus iPhones dos bolsos pra mexer, sem qualquer receio, coisa inimaginável nos transportes públicos brasileiros (aliás, duas coisas inimagináveis por aqui: todas as pessoas tendo iPhones e todos utilizando nas ruas, nos transportes públicos, sem medo de ser assaltado!). Porém, no Soho, presenciei um assalto. Na verdade, presenciei uma perseguição a um provável assaltante...hehehe. Eu estava na plataforma esperando o metrô e de repente um cara entrou correndo na estação e pulou por cima das roletas e saiu correndo pela plataforma. Depois de um tempo voltou caminhando e meio desanimado. Uma mulher ao meu lado comentou alguma coisa e eu perguntei pra ela se sabia o que estava acontecendo, ao que ela me disse que uns homens haviam roubado algo em um mercadinho e o sujeito que entrou correndo estava tentando pegar os larápios. Acho que não conseguiu nada, pois voltou sozinho, mas nessa hora deu um pouco de medo.  
Nova York é mesmo incrível. São muitas cidades dentro de uma só. E o melhor passeio a ser feito é simplesmente caminhar pelas suas ruas. A gente vai vendo a paisagem se modificando, de repente você está andando no meio de imensos arranha-céus antigos e trânsito caótico e de uma hora pra outra está rodeado de pequenos sobrados e prédios baixos construídos no século XIX, daqui a pouco dá de cara com um parque, prédios mais novos e milhares de pessoas em trajes de executivos...Cada vez que penso novamente na viagem que fiz, e quanto mais o tempo passa, mais tenho vontade de voltar. Tem muito, mas muito o que conhecer e aproveitar dessa cidade. E olha que não fiquei pouco tempo por lá não...mas ainda gostaria de visitar muitas outras coisas e rever com mais calma alguns dos lugares que fui.

O Village está na lista dos lugares que merecem um retorno. Quem sabe eu não me hospede por lá na próxima vez...

Harvard University

3
COM

No segundo dia em que fiquei em Boston, tratei de descobrir como chegar ao lugar que eu mais queria visitar por lá: a mundialmente famosa Universidade de Harvard. O campus está situado na cidade de Cambridge, que fica ao norte do Charles River. 

Bem, esse também poderia ter sido um passeio para um dia inteiro (se eu tivesse um dia inteiro para dedicar a um só lugar em Boston), o campus é imenso, há museus, restaurantes, lojas, livrarias, enfim, uma grande variedade de coisas pra ver.

Como eu havia comprado o ingresso para o Trolley Tour, peguei um dos trolleys e desci do outro lado do rio, exatamente na estação de metrô Kendall. De lá, tomei o metrô e precisei andar apenas duas estações para chegar à Harvard T Station. Ao subir à superfície você já está no meio da Universidade. De cara avistei a Harvard Square e a estátua acima, de John Harvard. A estátua é famosa pela crença de que se deve tocar o pé esquerdo de John para que se vá bem nas provas. Adivinhem: tinha fila de japinhas pra dar uma encostadinha no pé do homem.

Porém essa estátua também é conhecida como "the statue of three lies" (estátua das três mentiras), pois o homem lá sentado na cadeira na verdade não é John Harvard, nem está correta a inscrição que atribui a ele a fundação da Harvard College, pois ele teria sido apenas o primeiro grande benfeitor da universidade, e, por fim, a inscrição também erra a data da fundação de Harvard, que teria sido em 1636, e não 1638, como lá está registrado.

A caminhada pelo campus é um passeio muito agradável, os prédios têm uma arquitetura incrível e são extremamente bem conservados.


Obviamente, não pude deixar de conhecer a Faculdade de Direito, uma das melhores e mais prestigiadas do mundo. E descobri que é muito maior do que eu pensava, são vários prédios destinados à Harvard Law School e não apenas um como eu imaginava.


Eu sempre fui uma admiradora de toda a idéia americana de ir para a universidade. É um ritual muito importante, os filhos saem da casa dos pais, vão muitas vezes para outra cidade, moram na faculdade e é quase como uma imersão; naqueles anos eles vivem de verdade o ambiente acadêmico. Acho isso muito legal e estou certa de que o aproveitamento do curso é muito maior, pois a dedicação à vida na universidade é total e exclusiva. Depois de visitar Harvard eu passei a achar mais legal ainda, deve ser uma experiência realmente única, morar naqueles prédios cheios de história, vivendo imerso nesse ambiente de estudos, deve ser o máximo.

Já que moro no Brasil e não tive a oportunidade de cursar uma faculdade por lá, pelo menos aproveitei bem a visita e pude ter um pequeno gostinho do que é ser um estudande de Harvard. :)